InSight Blog

Perguntas frequentes sobre os detectores de defeitos da série EX para uso em atmosferas explosivas

By  -
Inspeção em atmosferas explosivas

Incêndios e explosões são uma grande preocupação em muitas aplicações de inspeção, como tubulações que transportam gás ou outras substâncias inflamáveis. Nenhum outro aspecto de segurança industrial recebe tanta atenção em quantidade de códigos, normas, documentos técnicos e projetos de engenharia. As indústrias que lidam com materiais ou ambientes perigosos geralmente impõem processos, regulamentos e requisitos de equipamento rígidos para qualquer trabalho potencialmente perigoso, incluindo os ensaios não destrutivos de rotina. De fato, mesmo os inspetores que usam detectores regulares de defeitos precisam ter permissões de trabalho em locais quentes para realizar ideterminadas inspeções.

Para oferecer suporte a nossos clientes que trabalham em ambientes perigosos, oferecemos três de nossos instrumentos mais populares — o detector de defeitos EPOCH ® 650, o analisador de juntas multimodo BondMaster® 600 e o detector de defeitos por correntes parasitas NORTEC® 600 — em versões que atendem aos requisitos da diretiva ATEX. Além de ajudar a economizar tempo e reduzir custos, esses instrumentos da série EX ajudam a manter os inspetores em segurança durante o trabalho realizado em determinados ambientes perigosos.

O que é ATEX?

O acrônimo ATEX é originalmente derivado das palavras francesas ATmosphères EXplosives (ou atmosferas explosivas).

Atualmente, ATEX é o nome comumente dado às duas diretrizes da União Europeia para o controle de atmosferas explosivas. A primeira é a Diretiva 99/92/EX (também conhecida como ‘ATEX 137’ ou ‘Diretiva ATEX Workplace’) que regulamenta as exigências mínimas para melhorar a proteção da saúde e segurança de trabalhadores potencialmente em risco em atmosferas explosivas. A Diretiva 94/9/CE (também conhecida como ‘ATEX 9’ ou ‘Diretiva de Equipamentos ATEX’) regula os equipamentos e sistemas de proteção destinados ao uso em atmosferas potencialmente explosivas. As regulamentações aplicam-se a todos os equipamentos destinados para utilização em atmosferas explosivas, sejam eles elétricos ou mecânicos.

O que é atmosfera explosiva?

Em termos simples, as atmosferas explosivas podem ser causadas por gases inflamáveis, névoas, vapores ou poeira combustível. Quando um número suficiente dessas substâncias perigosas se mistura com o ar, elas podem explodir se houver uma fonte de ignição, como uma faísca. Atmosferas explosivas são uma grande preocupação nas indústrias química, petroquímica, geração de energia, aviação e mineração. Em alguns casos, uma permissão de trabalho em locais quentes ou com equipamento em conformidade com a diretiva ATEX pode ser necessária para concluir o trabalho.

Os instrumentos em conformidade com a ATEX da Olympus podem ser usados em qualquer tipo de atmosfera explosiva?

Não. Os requisitos da diretiva ATEX são complexos, o rótulo no instrumento explica claramente com quais partes da diretiva ATEX o instrumento está em conformidade. Os instrumentos EPOCH 650 Ex, BondMaster 600 Ex e NORTEC 600 Ex estão em conformidade com os requisitos da diretiva ATEX com as mesmas restrições.

O que significam as letras e os números no rótulo ATEX do aparelho?

O rótulo informa sob quais restrições o instrumento pode ser usado em atmosferas explosivas.

Rótulo ATEX

  • CE: O instrumento atende aos requisitos de segurança, saúde e proteção ambiental da Área Econômica Europeia
  • Ex: Aprovado para uso em atmosferas explosivas
  • II: Grupo de equipamentos II, não aprovado para uso em minas
  • 3: Produto de categoria 3, aprovado para uso em áreas onde o material inflamável é raramente presente ou está presente apenas por curtos períodos de tempo
  • G: Produto de categoria G, aprovado para uso em atmosferas explosivas com gás, vapor ou névoa (não em pó)
  • Ex ic: Conceito de proteção de segurança intrínseca em operação normal (Proteção IEC nível 3)
  • IIA: Gás do grupo IIA, gases do tipo propano incluindo acetona, combustível de petróleo, amônia, etano, metanol, monóxido de carbono, propano, n-butano, etanol, óleo diesel, querosene, avgas e nitrato de etila
  • T4: Classe de temperatura T4; os componentes do instrumento expostos não excedem a 135 °C (275 °F)
  • Gc: Nível de proteção de equipamento Gc, para uso em ambientes onde gases explosivos estão presentes com pouca frequência ou por curtos períodos
  • IP54: Nível de proteção internacional IP54; o instrumento está protegido contra entrada limitada de poeira e é protegido contra a pulverização de água proveniente de qualquer direção
  • –10 °C <T amb <50 °C: Faixa de temperatura operacional — os instrumentos EX são classificados para uso em ambientes perigosos especificados anteriormente, de –10 °C a 50 °C (de 14 °F a 122 °F)
  • OLYMPUS 16.EP650: Designação do certificado ATEX do produto
  • X: O equipamento deve ser utilizado apenas nas condições específicadas descritas no rótulo

Existe algum órgão americano equivalente ao ATEX?

Não há equivalente direto. Os EUA têm um sistema de classificação separado baseado no National Electric Code.

Como podemos comparar o ATEX à segurança intrínseca ou à prova de explosão?

O termo intrinsecamente seguro é frequentemente usado para descrever produtos projetados para áreas perigosas (explosivas). Intrinsecamente seguro é um conceito de proteção baseado na limitação da energia elétrica disponível para níveis não incendiários, sendo assim, faíscas que podem provocar incêndio em atmosfera explosiva não podem ocorrer.

Como intrinsecamente seguro, à prova de explosão é um termo que muitas vezes é usado indevidamente para descrever equipamentos industriais. Para obter uma classificação à prova de explosão, um invólucro deve ser capaz de conter qualquer explosão originada dentro dele mesmo e impedir que faíscas saiam e incendeiem a atmosfera explosiva ao redor do equipamento.

Os instrumentos da série EX podem ser considerados intrinsecamente seguros e à prova de explosão quando operados adequadamente dentro das condições ambientais especificadas no rótulo ATEX. É incorreto dizer que os instrumentos EX são intrinsecamente seguros ou à prova de explosão sem especificar as condições sob as quais os instrumentos atendem aos requisitos da diretiva ATEX.

Qual é a diferença entre a classificação ATEX, Proteção Internacional (IP) e o padrão MIL-STD-810?

A classificação de Proteção Internacional (também conhecida como ‘Grau de Proteção’) consiste nas letras IP seguidas por dois números. O primeiro número representa o grau de proteção contra a intrusão de sólidos (como poeira) e o segundo número o grau de proteção contra a intrusão de água. Quanto maior o número maior o nível de proteção (0–6 para sólidos e 0–8 para água).

MIL-STD-810 é um padrão militar dos EUA que determina como testar instrumentos para uma variedade de condições ambientais. O padrão possui uma série de métodos para testar a resistência de um instrumento à umidade, névoa salina, vibração, choque, congelamento/chuva congelante e muito mais.

O ATEX vai além desses padrões e é voltado especificamente para a adequação de um instrumento para uso em atmosferas explosivas.

Existem diferenças físicas entre um aparelho padrão e um aparelho ATEX?

Você pode notar que os instrumentos da série EX são um pouco maiores e mais pesados que seus equivalentes não “EX”. Eles também têm uma estrutura em alumínio — em vez de plástico —, um protetor de tela resistente a danos e as borrachas protetoras possuem cores diferentes. Talvez o mais importante a saber é que os instrumentos da série EX funcionam exatamente como as versões padrão com os mesmos recursos, funcionalidades e resultados confiáveis.

Onde posso usar os aparelhos da série EX da Olympus?

Os instrumentos da série EX são aprovados para uso em ambientes onde gases inflamáveis do tipo propano (grupo de gás IIA) estão anormalmente presentes em temperaturas que variam de –10 °C a 50 °C. Os instrumentos EX não são destinados para uso em atmosferas com poeira explosiva, ambientes onde normalmente estão presentes gases inflamáveis, ou minas.

Como faço para saber se as áreas em que trabalho exigem o uso de um detector de defeitos em conformidade com ATEX?

Determinar a classificação de um local específico requer uma compreensão completa do local. Um estudo exaustivo do local deve ser realizado antes que uma decisão possa ser tomada sobre qual classificação deve ser atribuída. A autoridade de inspeção local é responsável para definir a classificação de uma área específica.

Ainda com dúvidas? Entre em contato conosco

Deseja saber mais? Baixe a brochura

Product Marketing Specialist, Ultrasonic Flaw Detectors

Julho 24, 2018
InSight Blog Sign-up

By clicking subscribe you are agreeing to our privacy policy which can be found here.

Sorry, this page is not available in your country
Let us know what you're looking for by filling out the form below.

Este site utiliza cookies para melhorar o desempenho, analisar o tráfego e para e verificar os anúncios. Se você não alterar as configurações da web, este site continuará a utilizar os cookies. Para obter mais informações sobre a utilização dos cookies neste site e como restringir sua utilização, consulte nossa Política sobre cookies.

OK